257 days

HAAAAAA não acredito que hoje eu vou escrever o dia de hojeeee!!

To há dias tentando atualizar o blog e nunca alcanço o fim. heheh Que maraviilha.

Só porque eu cheguei aqui, não tenho nada pra contar. Eu fui dormir super bem, acordei bem mal, agora to bem de novo, mas to sentindo que ficarei mal mais uma vez. Minha imunidade está baixa e tá me dando todas as zicas que alguém pode ter. Um saco.

Se segunda feira eu me senti criança porque queria ir pra aula. Hoje eu me senti mais ainda ao me ver sentando na mesa da cozinha com um mapa impresso no papel e lápis de cor pra fazer meu homework. Ééééé. A gente faz 24 anos na cara pra de repente ter que desenhar e colorir placa tectônica e ficar achando países no mapa. =P hueheueh Mas pior que foi divertido.

Estava lendo um texto hoje num blog de um cara que vive aqui há uns anos. O texto fala sobre a vida de brasileiros aqui, como é diferente de viver no Brasil, como as coisas mudam com o tempo e como é a sensação de voltar ao Brasil.

Não tenho nem de perto o contato com a Australia que ele tem, mas algumas das coisas que ele fala são coisas e eu vejo, que sinto e que me deixam um pouco tensa sobre a volta.

No início, por mais que eu soubesse que teria que voltar, eu sabia que ainda faltava muito e a relação que eu tinha com o país era muito boa, mas muito nova. Agora faltam três meses e meio pra eu sair da Australia e, graças à Ásia, 5 meses e meio pra voltar ao Brasil. Mas mesmo ainda faltando um tanto, eu me pego pensado que as coisas serão muuito diferentes.

A primeira parte do texto do blog fala sobre a segurança do país. Há 7 meses atrás eu iria ler isso e com absoluta certeza acharia que o cara está exagerando. Mas não está. É claaro que crimes acontecem, existem ladrões, existem estupradores e afins, mas isso é a exceção. Eu, que sou do Rio de Janeiro, onde fazia parte do meu dia-a-dia estar de olho em todas as pessoas da rua pra tentar evitar problemas, me pego andando na rua completamente sem medo, sem preocupações, com todas as minhas coisas e sozinha… Minha mãe diria: melhor não dar mole, tem gente ruim em todo lugar do mundo. É, tem, mas não tem como. O local e a rotina te fazem ser assim. A porta da nossa casa fica aberta quase que o dia inteiro, as janelas que dão pé e ficam de cara pra rua só são fechadas quando não tem absolutamente ninguém em casa e à noite. Deixar as janelas abertas à noite é realmente um perigo. Já deixamos e o resultado foi desastroso. Destruíram nosso manjericão, nossa cebolinha e nossa salsinha. Gambás são seres absurdamente inescrupulosos e nojentos. A escória da Australia. =P

Eu fico pensando quando eu voltar, sabe. É triste. Mais que isso. É revoltante. Viver do jeito que eu vivo aqui não é irresponsável nem ousado. Viver do jeito que vivemos no Brasil é que é um absurdo. Eu ter que controlar meus horários, meus percursos e minhas roupas pra não correr riscos é ridículo!

Tenho ouvido sobre uns roubos de bicicleta por aqui. Primeiro pro detalhe que é furto, e não roubo. Ladrão é um tanto menos ousado por aqui. Depois que a quantidade de bicicletas encontradas é maior que 1, o que já é 100% maior do que no RJ. A polícia é informada e eles agem! Eles procuram em sites de venda, eles tem os detalhes da bike, se alguém tem alguma informação sobre o crime, eles investigam! Por força do hábito eu ainda penso: “Nooossa, que incrível!”. Mas não é incrível! É como tem que ser.

Não sei se parece muito esnobe, mas não ligo. Eu não queria ter que voltar a ter que viver da maneira que eu vivia. A qualidade de vida aqui é assustadoramente boa. E não tem comparações. Não tem mesmo.

Taí o link do blog do cara:

http://www.brazilaustralia.com/mente-brasileiro-na-australia-e-experiencia-de-quem-volta/

Anúncios

One thought on “257 days

  1. Outro dia li um comentário no jornal sobre o aumento do número de pessoas que estão tendo a oportunidade de conhecer outros lugares. Ele nem estava falando de viagens longas como as de vocês, mas de viagens simples, de férias. Ele falava desse sentimento que você também tem, de que as coisas por aqui não precisam ser como são, que existem lugares onde a civilização já chegou. Porque a gente vai se acostumando com este estado de coisas e acaba achando normal. Reclama, mas deixa estar. A vantagem dessas experiências é fazer com que as pessoas fiquem mais críticas e comecem a cobrar mais seriamente que as coisas melhorem.
    Façam a parte de vocês. Beijos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s